top of page

Misto de decepção e de “eu sabia” - Por Edison Pires

Publicado em:
8 de outubro de 2022 16:53:50
Atualizado em:
30 de novembro de 2022 17:58:15
Misto de decepção e de “eu sabia” - Por Edison Pires
Crédito Imagem:

Misto de decepção e de “eu sabia” Nos dois dias seguidos após as eleições o que pude notar foi uma mescla de sentimentos de surpresa positiva e negativa. Muita gente esperando um resultado diferente do que mostraram as urnas e, quase o mesmo tanto de pessoas, com aquela expressão de “eu já sabia”. O que pude notar aqui na empresa durante o “cafezinho”, é que a decepção era muita clara para os eleitores do PT. Todos estavam certos da vitória esmagadora e até no primeiro turno das eleições. Um dos colaboradores contou que fez parte de um grupo de 60 pessoas que votaram logo pela manhã – não tão de manhã porque houve muito atraso – e já foi para a Avenida Paulista, na cidade de São Paulo, que estava reservada para a festa da vitória do Partido dos Trabalhadores. Mas, com o andar das apurações, o que era certeza passou a ser preocupação e depois frustração. “Não deu para entender. As pesquisas mostravam uma larga vantagem do Lula. Na quinta-feira (antes da eleição) Lula já tinha mais de 50% das intenções de voto. Eu não esperava por esse resultado, acho que aconteceu alguma coisa”, disse um dos funcionários. Ele contou que mais da metade do grupo que foi para A Paulista veio embora antes mesmo de começar a “festa”. “Tava todo mundo chateado!”, comentou. Já os eleitores do Bolsonaro, entre um gole e outro de café, não escondiam um certo alívio e, ao mesmo tempo, preocupação. “A gente tinha certeza de que os números que eram divulgados não correspondiam com a realidade. Muita gente que gosta de dizer que votou no candidato que ganhou, optou pelo Lula influenciado pelas pesquisas. Se não fosse isso, acho que o Bolsonaro ganhava no primeiro turno”, disse um outro colaborador. Fiquei orgulhoso da equipe de funcionários por que eles souberam discutir o assunto sem que se ofendessem ou se exaltassem. Foram conversas de lados opostos, mas que se respeitaram. Foi bom constatar que o espírito democrático se faz presente em nossa empresa! Agora todo mundo começa a se preparar para o segundo turno. Lá se vão mais alguns dias para pensar em eleição e, depois, emendar com Copa do Mundo. Desse jeito o ano vai passar rápido. Única crítica que tenho a fazer do domingo fica por conta da sujeira nas ruas com aqueles “santinhos”. Deveria ser proibido esse tipo de material. Já que não falta dinheiro público para político fazer campanha, os candidatos deveriam montar alguns postos para distribuir esses panfletos. Assim, o eleitor que quiser pegar algum, vai até o posto de distribuição e retira o seu. Fica uma coisa mais civilizada e sem essa sujeira toda, que muitas vezes se transforma em armadilha para as pessoas. Acho que está na hora de se pensar mais no eleitor e no povo, do que apenas no candidato. Outra coisa que observei. Poderia voltar a vigorar a Lei Seca. Não foi difícil encontrar pessoas “causando” por estarem embriagadas. Um momento tão importante para o futuro do País, não combina com bebedeira do eleitor e nem de candidato que gosta de tomar algumas a mais! Edison Pires
Leia Mais ...
bottom of page