top of page

Estupros ocorrem uma vez a cada 13 dias em unidades de saúde de São Paulo

Publicado em:
15 de dezembro de 2020 17:31:08
Atualizado em:
30 de novembro de 2022 17:55:10
Estupros ocorrem uma vez a cada 13 dias em unidades de saúde de São Paulo
Crédito Imagem:

[caption id="attachment_25438" align="aligncenter" width="1200"] (Foto: Divulgação)[/caption]

A cada 13 dias uma mulher é estuprada dentro de alguma unidade que presta serviços de saúde na cidade de São Paulo.

Segundo informações divulgadas pelo UOL, de janeiro de 2018 a outubro de 2020 foi registrado um total de 82 denúncias de estupro que teriam ocorrido em locais como hospitais, consultórios médicos, casas de repouso e clínicas psiquiátricas, por exemplo.

As denúncias são de tentativa ou de estupro consumado. Desse total, 61% são de estupros contra menores de 14 anos. As idades das vítimas variam de 1 a 68 anos.

Já foram registradas 56 denúncias de estupro que teriam ocorrido em hospitais, 12 em clínicas ou consultórios e 5 em postos de saúde. Vinte e dois casos foram registrados em unidades particulares e 21 em unidades administradas pelo governo. O restante dos boletins de ocorrência foi feito sem registrar os endereços.

Em nota à imprensa, as Secretaria Municipal de Saúde e Secretaria da Saúde de São Paulo repudiaram qualquer ato de violência contra os pacientes e práticas que fujam dos critérios de humanização do SUS. Os órgãos públicos também explicaram que em casos de denúncias é instaurada uma sindicância e cada caso é apurado pela diretoria da unidade. Se for contatada alguma violação, a unidade toma as medidas cabíveis, como o desligamento do profissional.

A cada 8 minutos

De acordo com o Anuário Brasileiro de Segurança Pública de 2020, levantamento elaborado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, um estupro acontece a cada 8 minutos no Brasil. Só no ano de 2019, foram registrados 66.123 boletins de ocorrência.

A maioria das vítimas de estupro e estupro de vulnerável é mulher, 85,7% das vítimas. A maioria delas tem entre 10 e 13 anos (57,9%). O segundo recorde de idade que mais sofreu estupro foi crianças de 5 a 9 anos (18,7%) e adolescentes de 14 a 17 anos (16,8%).

Quanto aos estupros em que a vítima é do gênero masculino (14,3%), os casos são mais concentrados durante a infância. Já as mulheres são a maioria dos alvos na adolescência. A grande maioria dos estupradores são conhecidos (84,1%) e podem ser parentes, familiares ou pessoas adultas que têm acesso à casa da vítima. Quase 16% dos atos são cometidos por desconhecidos.

O levantamento aponta ainda quais são os horários em que os estupros mais acontecem. No caso de estupro de vulnerável, a maior parte acontece no período da tarde (35%), enquanto os estupros são mais feitos no período da noite (30%).

   
Leia Mais ...
bottom of page