top of page

Antes tarde do que nunca! - por Edison Pires

Publicado em:
19 de agosto de 2023 12:30:00
Antes tarde do que nunca! - por Edison Pires
Divulgação
Crédito Imagem:


Assistindo a uma reportagem da jornalista Sônia Bridi sobre o Pantanal e sua lenta, porém progressiva, recuperação após as grandes queimadas do ano de 2020, me peguei pensando sobre alguns acontecimentos em nossa cidade.


Na reportagem foi destacado o grande número de animais atropelados nas rodovias que cortam o Mato Grosso e o Mato Grosso do Sul. São centenas de animais mortos, feridos e gravemente feridos por ano. Com cada vez menos espaço - que vêm sendo tomados por plantações, pastagens, industrialização e avanço das cidades - esses bichos silvestres são obrigados a enfrentar homens, carros, caminhões e o dito progresso, numa luta desigual da qual eles dificilmente saem ilesos.

Não fossem só os casos envolvendo animais e a flora, tem também os problemas com mananciais que são assoreados fazendo com que alguns canais de água simplesmente sequem, desapareçam ou alterem seu curso. Isso tem provocado um desequilíbrio natural imenso.

A reportagem entrevistou o governador do Mato Grosso do Sul, Eduardo Riedel que, se mostrando preocupado com a situação, disse ter suspendido até segunda ordem a liberação de licenças e certidões ambientais para a grande maioria dos projetos impactantes ao meio ambiente. Até estradas que estavam sendo concluídas em meio a áreas alagadas foram suspensas.

Uma decisão meio tardia, principalmente em se considerar os estragos já ocorridos. Porém, como diz o ditado: "antes tarde do que nunca!". Há de se esperar que realmente ações de grande impacto sejam suspensas o tempo necessário para que a Natureza consiga curar as feridas abertas pela ação do homem.

Assistindo a reportagem lembrei da matéria publicada na nossa GAZETA, sobre a fêmea de Veado-Catingueiro que foi encontrada no interior do Ribeirão dos Macacos, na região central de Araçariguama. Assustada e ferida ela foi capturada e levada para um centro de reabilitação. A triste notícia é que uma das patas traseira teve que ser amputada.

Esse é o segundo animal silvestre que aparece ferido no município em menos de um mês. Outro dia foi uma jaguatirica, encontrada morta no Acesso. Fora os relatos de aparecimento de onças pardas em vários bairros, cachorro-do-mato, quatis, entre outros. Isso mostra que Araçariguama e seu entorno (outros municípios próximos) podem estar consumindo área verde em excesso, tirando o espaço da pouca fauna que ainda resiste por aqui. Além de causar um desequilíbrio, existe o risco de grandes predadores passarem a "visitar" com maior frequência, sítios e áreas habitadas podendo ocorrer encontros perigosos com pessoas e animais domésticos.

Diante desse quadro preocupante que já estamos vivendo há alguns anos, seria interessante que a iniciativa do governador do Mato Grosso do Sul - em segurar licenças e autorizações até que se tenha um plano de recuperação e preservação de áreas verdes - fosse copiada e até melhorada por nossos mandatários. Se não houver a devida atenção agora, que a população fique atenta ao candidato que, nas eleições municipais de 2024, apresente um plano para que a nossa fauna, nossa flora, nossos mananciais e essas paisagens tão lindas e que são parte importante para manter o equilíbrio do nosso meio ambiente, estejam em primeiro plano.

A Natureza como um todo está sufocada. Esses pobres animais estão nos mostrando isso! Ainda dá tempo!

Edison Pires

Leia Mais ...
bottom of page