top of page

A vontade popular deve ser respeitada! - Edison Pires

Publicado em:
21 de junho de 2020 18:30:03
A vontade popular deve ser respeitada! - Edison Pires
Crédito Imagem:

Na sexta-feira passada pude assistir alguns trechos da sessão da Câmara, quando da votação do relatório da comissão que apurou denúncias contra a prefeita Lili Aymar. Bastante extensa e recheada de discursos, aquela sessão, independente do resultado - pois não é sobre isso que quero falar - teve um ponto que me chamou bastante a atenção e, pensando bem, ele pode traduzir em 100% a vontade popular sem depender de nenhuma decisão política unicamente tomada por políticos.

Alguém disse durante pronunciamento, que a decisão sobre o afastamento ou não deveria vir do povo nas eleições que estão próximas. Isso me levou a refletir que muitos casos devem sim, ser deixados para o eleitor decidir se o seu escolhido praticou algo que o impeça de voltar a representa-lo novamente.

Essa pode ser uma alternativa para que o ato de votar se torne cada vez mais consciente, ou seja, que o eleitor vá para a urna sabendo da sua real responsabilidade. Sabendo que se escolher o candidato errado irá sofrer as consequências e que, dentre outras coisas, no mínimo estará incentivando a prática da corrupção e do mau uso do dinheiro público, que tanto condena.

Acredito que em casos que não resultem em consequências gravíssimas ou irreparáveis, os erros devem ser apurados, as denúncias investigadas e o resultado levado à público para que todos tomem conhecimento da prática delituosa que o tal representante do povo cometeu. E, assim, a decisão se a pessoa deve ou não continuar ocupando o cargo que lhe foi outorgado, seja tomada na urna, durante a eleição.

Sinto que se não for dessa maneira, sempre restará a dúvida de que a decisão favorável ou contrária ao agente público, tenha ocorrido apenas por cunho político/partidário, pela disputa de interesses de grupos que buscam o poder, e, que, consequentemente a vontade popular não prevaleceu.

Quando deixamos que decidam por nós ocorre o comodismo, abre-se a porta da injustiça e cresce a submissão. Por tudo isso, essa prática deve ser combatida para que a vontade do povo consiga prevalecer, possibilitando que a democracia seja exercida em seu mais amplo significado.

 
Leia Mais ...
bottom of page