top of page

“Prefeito Lívio Tagliassachi”: Uma rodovia e inúmeros riscos e problemas

Publicado em:
18 de março de 2023 12:30:00
“Prefeito Lívio Tagliassachi”: Uma rodovia e inúmeros riscos e problemas
Crédito Imagem:

A Rodovia Prefeito Lívio Tagliassachi continua sendo exemplo do pouco caso ou da falta de estrutura do DER – Departamento de Estradas e Rodagens, responsável pela sua manutenção e operação, e, de órgãos fiscalizadores, uma vez que a imprudência impera por toda sua extensão, sem que os infratores sejam incomodados pelas autoridades. Um motorista de ônibus que utiliza a via em seus deslocamentos diários, aceitou conversar com a reportagem, mas sem se identificar. Ele descreveu a sensação de trafegar pelo Acesso: “É uma roleta-russa.

Você começa a viagem e nunca sabe o que pode acontecer ou se vai sair vivo do outro lado”.

A primeira vista, pode parecer exagero. Mas, não faltam exemplos para ilustrar tal afirmativa!

Pela enésima vez, partes do acostamento de vários pontos da estrada estão desbarrancando e apenas medidas paliativas, que em quase nada se traduzem em segurança para os usuários, são tomadas. Lonas tomam o lugar do asfalto e do aterro e acabam por esconder o problema. “Ninguém sabe o que acontece por baixo das coberturas. Será que está seguro?”, comentou o motorista. Há pontos em que a área desbarrancada só foi isolada por defensa metálica e, aparentemente, nada mais. Como o que mostra a foto. Uma grande área de terra exposta, já sem a vegetação e que recebe chuva e enxurrada. Dá para reparar que parte do acostamento no sentido São Roque, já está ficando suspenso, sem nenhuma base. Aliás, nesse trecho o acostamento também é utilizado como pista pelos apressadinhos.

O deslizamento de encostas é outra tragédia anunciada na Lívio Tagliassachi. Vários pontos mostram estar instáveis e que podem levar terra e pedra para as pistas a qualquer momento. Há poucos meses, um motociclista colidiu contra uma pedra, que rolou do barranco e parou na pista. O rapaz se recupera do acidente que quase lhe custou a vida. Há trechos que dão mostras de que isso pode voltar a ocorrer, sem que nenhuma providência seja tomada.

Convite ao crime e à contravenção

A ausência de fiscalização é outro absurdo. Sem ninguém para manter a lei e a ordem, os nove quilômetros de rodovia se tornam “terra de ninguém”. Acostamento vira pista; faixa dupla é ignorada servindo, para alguns, só como decoração, e, limite de velocidade máxima é o quanto o carro aguentar ou a carreta alcançar empurrando quem tenta trafegar dentro da lei. O asfalto novo que deveria se traduzir em segurança para os usuários, se transformou também em perigo.

“Se tem um bom lugar para criminoso se esconder, é no Acesso. Lá ele pode viver sem ser incomodado”, brincou o entrevistado. Nesse sentido ele também faz um alerta. “Já está sendo comum encontrar pessoas estranhas ao ambiente perambulando pela rodovia. Digo estranha porque, conheço a rotina da maioria das pessoas que pega ônibus no Acesso. E essas não são daqui”, alertou.

Pouco caso e falta de bom senso

Fora isso, ainda tem problemas com a sinalização. A falta de cuidado é tão grande que até as placas de Limites de Município estão trocadas. A reportagem apurou que a placa que indica o município de São Roque está em Araçariguama, e, a de Araçariguama está em São Roque. Isso sem falar na liberação de faixa adicional em trecho que há grande circulação de pedestres, ciclistas e até pessoas a cavalo, como o que ocorre na chegada à São Roque, no Bairro Guaçu. Nesse trecho ainda tem caminhões pesados que cruzam a pista ou diminuem a velocidade para acessar uma usina de concreto. E um pouco mais a frente, a pista se afunila rapidamente e falta espaço para dois carros.

Enquanto essa situação perdurar, resta ao motorista trafegar com cuidado e torcer para completar a travessia sem se envolver em acidente.

Leia Mais ...
bottom of page